domingo, 15 de junho de 2008

Santo António e Amália Rodrigues

Sempre disse que Simone de Oliveira era a mulher da minha vida. Foi claro quando me apaixonei pela Desfolhada Portuguesa – e poupo-me a descrições. Todos a conhecem e quem não a conhecer Google-It!


“Corpo de linho / lábios de mosto / meu corpo lindo / meu fogo posto.
Eira de milho / luar de Agosto / quem faz um filho / fá-lo por gosto.
É milho-rei / milho vermelho / cravo de carne / bago de amor
filho de um rei / que sendo velho / volta a nascer /quando há calor.


Minha palavra dita à luz do sol nascente
meu madrigal de madrugada
amor, amor, amor, amor, amor presente
em cada espiga DESFOLHADA.”


Hoje, 13 de Junho, dia de Santo António de Lisboa e depois de uma noite de marchas lisboetas,… bairristas. (parabéns a Marvila) Senti em sonhos o cheiro da sardinha que deixa pingar molho para a broa acompanhadas por um copo de tinto!

Perdi-me entre marchas, hinos a Lisboa, fados lisboetas! Fados de Amália Rodrigues. É fantástico ouvi-la a cantar a Marcha do Centenário – “Lisboa nasceu!”.


Assumo o meu bígamo amor: Entra na minha vida uma (outra) grande mulher: Amália da Piedade Rebordão Rodrigues!





Dói-me o peito por nunca ter assistido, por ter recusado um concerto da Amália!


A MARCHA É LINDA!


(e viva Alfama!)




3 comentários:

Isabel disse...

MARVILA é que é!!! E Viva MARVILA!!!
Beijo

Martinha disse...

Fui pesquisar sobre a desfolhada portuguesa, e de facto também gostei.
A Simone de Oliveira é uma referência, não só para a música, como para a representação!

Este tempo dos santos populares é propício a boa disposição, diversão... e sardinhas assadas e um manjerico, que não podem faltar!

Beijinho *

Sónia Neves disse...

Olá Hugo!

Gostei deste teu post... E como eu te compreendo...

Bjoca!